PEDAÇO TEU

Sou a partícula ínfima
A célula, a molécula tua
De ti, quanto mais longe
Mais profundas são
As saudades e desejos

Amo-te incondicionalmente
Pois sou fragmento distante
Cada noite que em mim cai
Levanto e enfrento o silêncio
Que aviva o dilema poético
Eterna ânsia do papel branco
Com a inspiração em solavanco

Tantos murros na ponta de faca dei
Tantos puxões de orelha da vida levei
Por ti, tantas salivas, insónias encaixei
Por ti tantas batalhas com alas travei
Por ti contra gigantes e titãs lutarei

Por ser fragmento teu
Todas as picadas e pancadas
Todos os maltratos e destratos
Angústias, injúrias e penúrias
Que passas, juntos sofremos

Assim é meu amor por ti
O amor que nutro por ti
É o amor que n’alma dói
Caio mas levanto e insisto
Choro, canto, grito e resisto

Guiné-Bissau
Musa e Pátria Minha
Calar-me enquanto sofres, nunca
Sou pedaço teu

Autor: Emílio Tavares Lima
Edinburgh – madrugada do dia 10 de Janeiro de 2018

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.