VAGABUNDA ALMA LISBOETA


Em cada enigmático e vil poeta
Nascem os ecos d’alma profeta
Também a desconhecida faceta
Daqueles que viveram na sarjeta

Entre tanta enrugada cara preta
E na penumbra da fala indiscreta
Cai na noite e amanhece lisboeta
A vagabunda alma bateu caçoleta

Exorcizamos o fado desse planeta
No fim do dia vivido como estafeta
A vida é corrida para cortar a meta

Cantamos e sorrimos dessa vida de treta
Dançamos e enlaçamos como alfa e beta
Vivemos par’ amar, cantar e beijar a teta.

By: Emílio Tavares Lima
Agosto de 2020 – Edinburgh – Scotland

ASSIM FOI A ESTREIA DA ALTA DEFINIÇÃO POÉTICA

Confira, caso não tenha tido tempo de acompanhar a emissão em directo

Valorizo imenso a sua opinião, por favor, deixa-me saber o que acha do programa. Alguma sugestão de melhoria?


[mailerlite_form form_id=4]

Estreia a Alta Definição Poética

Um programa cujo objectivo é (re)descobrir e divulgar a literatura, principalmente, os autores da Guiné-Bissau.

O formato será de apenas 30 a 45 minutos no máximo. Para que seja interactivo, gostaríamos de contar com a vossa participação.